Tulipa ERP

Bloco K do SPED: Tudo que você precisa saber para não ser surpreendido

Se você está sem dormir por causa do Bloco K, eu sei exatamente o que você está passando. E você tem toda razão do mundo de estar preocupado, pois a multa não é barata e esse assunto é muito pouco conhecido.

JUNTE-SE AO TIME DE PESSOAS DE SUCESSO

Entre para nossa lista exclusiva e receba com prioridade conteúdos novos toda semana

Se você está sem dormir por causa do Bloco K, eu sei exatamente o que você está passando.

E você tem toda razão do mundo de estar preocupado, pois a multa não é barata e esse assunto é muito pouco conhecido.

Você pode ainda não saber, mas sua indústria está em uma corrida contra o tempo para adequar o controle de estoque e movimentação da produção com esse livro fiscal.

O ano de 2019 está iniciando e com ele vem o Bloco K.

Mas o que isso significa?

Significa que todas as indústrias do Brasil fora do Simples Nacional e do MEI precisarão entregar o Bloco K ao Fisco.

E grande parte das empresas ainda não sabem o que realmente devem fazer.

Pensando nisso, trouxemos tudo o que você precisa saber para não ser surpreendido pelo Bloco K.

Continue lendo esse artigo que você vai saber…

  1. O que é o Bloco K?
  2. Não arrisque, as multas são altas
  3. Quem é obrigatório?
  4. O que deve conter no Bloco K?
  5. Bloco K do SPED
  6. Como se adequar ao Bloco K?
  7. Bloco K após o envio da ECD
  8. Informações Importantes 

 

1. O QUE É BLOCO K?

Antes de qualquer coisa, é preciso compreender o seu significado e qual é a sua utilidade numa empresa.

O Bloco K nada mais é do que um livro digital contendo todos os registros de controle de produção e estoque das indústrias. Ele funciona como um histórico de todas as operações e rotinas da indústria.

Esse livro está vinculado ao projeto EFD (Escrituração Fiscal Digital), que está inserido dentro do Sistema Público de Escritura Digital (SPED).

O objetivo do Bloco K é evitar a sonegação de impostos; ele contribui para que ocorra a devida fiscalização.

 

2. NÃO ARRISQUE, AS MULTAS SÃO ALTAS!

Se caso houver alguma alteração indevida nos registros de consumo ou no de estoque ou até mesmo ocorrer o atraso no envio do documento, a empresa poderá ser multada ou até receber outras punições, como ter a emissão de notas fiscais impossibilitadas.

E convenhamos que o valor é bem salgado, para atraso na entrega a multa é de 1% sobre os valores de estoque, com um acréscimo de R$ 500 para as empresas do Simples Nacional e R$ 1.500,00 para as companhias inclusas nos demais sistemas.

Já para informações incorretas a multa é de 3% sobre as obrigações comerciais. E para o recolhimento de valores menores que o valor devido ou não recolhimento, a multa é 100% do valor devido e os responsáveis estarão sujeitos ao crime de sonegação fiscal e investigação por meio de inquérito policial.

 

3. QUEM É OBRIGATÓRIO?

O Bloco K é obrigatório para todas as empresas nos seguimentos de:

  • Estabelecimentos industriais
  • Estabelecimentos Atacadistas
  • A critério do Fisco pode ser exigida de estabelecimentos de outros setores

Para uma melhor organização, as indústrias e organizações devem obrigatoriamente (Decreto 6.022/2007) enviar o Bloco K por meio do SPED ICMS/IPI, de forma padronizada e em tempo real da produção, insumos, estoque final e já escriturado (com o desconto de entrada e saída) pelo estabelecimento ou por terceiros, com exceção as optantes pelo Simples Nacional.

Após isso o Fisco começará a ter o controle da apuração de estoques.

 

4. O QUE DEVE CONTER NO BLOCO K?

As informações exigidas pelo Bloco K são:

  • O montante da produção;
  • O montante dos materiais consumidos;
  • O montante da produção de terceiros;
  • O montante de materiais consumidos na produção de terceiros,
  • As operações internas de estoque;
  • A disposição dos produtos acabados, semiacabados e matérias-primas;
  • E a lista de materiais dos produtos próprios fabricados e de terceiros (Materiais pertencentes a empresa; materiais pertencentes a empresa em poder de terceiros e materiais de terceiros em poder da empresa).

Uma vez que a implementação do Bloco K é de inteira responsabilidade da própria indústria, recomenda-se que a mesma contrate um escritório contábil com especialização em indústrias, para tratar de todas essas informações exigidas pelo SPED e assim se adequar as exigências pedidas.

E não se esqueça, além do Bloco K existem ajustes a serem feitos em outros Blocos do SPED, como por exemplo: O envio da engenharia de produto no Registro 0210.

Fonte: Portal Contábeis

 

5.BLOCO K DO SPED

Falamos do significado do Bloco K e a sua importância para as indústrias, contudo é preciso entender o que é o SPED.

Como falado no início desse artigo, SPED, é a sigla para Sistema Público de Escrituração Digital. É esse sistema que contribui para que as obrigações do Bloco K sejam cumpridas legalmente por parte dos colaboradores para com os órgãos regulamentadores apropriados. O Bloco K é um dos componentes informativos do SPED Fiscal.

O SPED é composto por cinco subgrupos:

  • NF-e Ambiente Nacional: que está vinculada a Secretárias da Fazenda dos Estados e a Receita Federal, e auxilia nas emissões de notas fiscais, de forma que as informações das mesmas sejam controladas mais facilmente.
  • Escrituração Contábil Digital: também conhecida como Livro Diário Digital, tem a função de substituir o livro físico, transformando esse livro de escrituração mercantil em arquivos digitais.
  • Escrituração Fiscal Digital: são documentos fiscais e escriturações que assim como os outros componentes tem a função de permitir assinaturas digitais e envios das informações virtualmente.
  • CT-e: Conhecimento de transporte eletrônico
  • NFS-e: Nota fiscal de serviços eletrônica
 

6.COMO SE ADEQUAR AO BLOCO K?

Para se tornar apto ao Bloco K é preciso fazer a revisão e a adequação dos processos, em seguida, deve-se fazer a capacitação da equipe e por fim fazer o uso de recursos em tecnologia que sejam seguros, pois o volume de informações é realmente gigantesco e requer ajustes à estrutura exigida pelo FISCO.

É importante ressaltar que a empresa precisa encontrar formas de se adequar a estrutura do Bloco K, estudando alternativas para compreender esse projeto para que haja o cumprimento dessa obrigação.

Mas como fazer isso?

Através da:

  • Análise de todos os requisitos exigidos pelo Bloco K;
  • Mapeando detalhadamente os processos industriais, terceirizados e estoques;
  • Avaliando o tipo de software que atenderá esses requisitos;
  • Contratando uma empresa especializada que ficará encarregada de administrar todas as exigências do Bloco K;
  • Estruturar e treinar a sua equipe interna para a operação e registros das informações;
  • Iniciar os testes para a confirmação das informações coletadas no sistema e ver se elas correspondem de fato;
  • E por fim, entregar o Bloco K em 2019, dependendo da sua indústria.
 
 

7. O BLOCO K APÓS O ENVIO DA ECD

Caso você ainda não tenha enviado suas informações do Bloco K, tenho uma boa e uma má notícia para você.

A boa é que você tem direito a correção, porém só pode ser ajustado quando conter erros que não possam ser retificados por meio do lançamento contábil extemporâneo.

Já a notícia ruim é que só poderá substituir as informações do Bloco K uma única vez.

Sendo assim, as empresas que enviaram a ECD sem o bloco K, farão a substituição do arquivo entregue para acrescentar essa informação.

  

Conclusão

Esteja preparado para enviar o Bloco K a tempo. Se você estiver com dúvida de como realizar todo esse processo, acesse este link e fale com nosso time de consultores especialistas. Eles estão mais que preparados para te ajudar. 

Lembre-se de verificar se já possuí todas as informações disponíveis e se a empresa possuí um bom ERP integrado.

Essa parte é muito importante, pois o Bloco K é um livro digital e necessita de um bom sistema para ajudar na coleta das exigências pedidas.

Se a sua empresa não tem ainda um sistema de gestão, o Tulipa ERP poderá te ajudar na coleta e organização das informações. Assim, sua empresa não terá o prejuízo com as multas altíssimas.

Para finalizar, também é muito importante identificar dentro do fluxo dos processos, os espaços e restrições que podem ocorrer ou inviabilizar a entrega de arquivo, devendo ser mapeado com antecedência.

Hey,

deixe nos comentários o que você achou deste conteúdo. ;)