Tulipa ERP

4 passos para você estruturar a análise de dados

Informação é um dos ativos mais preciosos para as empresas. Não é à toa que as organizações investem tanto em pesquisas de mercado, em conhecer os hábitos dos seus consumidores, em elaborar indicadores de desempenho. Como diz o ditado, o que não pode ser medido não pode ser melhorado.

JUNTE-SE AO TIME DE PESSOAS DE SUCESSO

Entre para nossa lista exclusiva e receba com prioridade conteúdos novos toda semana

Informação é um dos ativos mais preciosos para as empresas. Não é à toa que as organizações investem tanto em pesquisas de mercado, em conhecer os hábitos dos seus consumidores, em elaborar indicadores de desempenho. Como diz o ditado, o que não pode ser medido não pode ser melhorado.

O avanço da tecnologia possibilitou, entre muitas coisas, a obtenção de muito mais dados — que são mais profundos e precisos também. No entanto, para obter as informações desejadas, que possam ser usadas em benefício da empresa, é preciso fazer a análise de dados.

É justamente disso que vou tratar hoje. Abaixo mostro 4 passos para que você consiga estruturar a análise de dados e tirar o máximo proveito dela. Acompanhe!

1. Defina um escopo

Se você apenas olhar para um enorme volume de dados, eles não vão dizer nada. Em primeiro lugar, é preciso que você mesmo defina o que quer saber. Já viu programa de entrevistas? O entrevistador pesquisa sobre o entrevistado e elabora um roteiro de perguntas cujas respostas ele quer saber.

Na análise de dados é a mesma coisa. Olhe para a sua empresa e delimite quais são as respostas de que você precisa. Quer otimizar determinado processo? Quer aumentar a satisfação do cliente? Quer aumentar a taxa de conversão em vendas?

2. Faça um planejamento

No tópico anterior, mostrei a você como pensar nos seus objetivos com a análise de dados. Agora, é preciso definir como chegar lá. Para isso, é preciso fazer um planejamento cuidadoso. Veja abaixo algumas das questões que você deve se fazer para isso:

  • Quem vai fornecer as respostas que você quer? São dados de sistemas? Ou são os clientes que têm as respostas? Ou ainda é preciso fazer uma pesquisa de mercado?
  • Como as respostas serão coletadas?
  • Para quem os dados serão úteis?
  • Quem vai trabalhar as respostas e como?

Dessa forma, a análise fica muito mais específica e já é possível vislumbrar quais são os passos a serem seguidos.

3. Levante as informações

A forma como esse levantamento deve ser feito já deve estar prevista no seu planejamento. É preciso definir qual será o instrumento para coletar os dados desejados: um questionário enviado por e-mail ou aberto no site? Contatos ativos pelo telefone? Dados fornecidos automaticamente pela navegação dos usuários no site? Números de produção ou de vendas?

Não se esqueça de definir em quais sistemas os dados serão coletados. Pode ser nos sistemas internos de gestão, como ERP e CRM, nas redes sociais, na interação dos usuários com o site, na movimentação do público em lojas físicas etc.

4. Trate as informações

Com todos os dados coletados, chegou a hora de tratar as informações. Aqui a ajuda da tecnologia é imprescindível, em virtude do volume das informações e da complexidade das análises.

É possível fazer uso de diversas ferramentas tecnológicas, como o Big Data, para ajudar a compor os dados e comparar a sua coleta com o restante do mercado, construindo análises complexas.

Com as informações em mãos, é possível levantar hipóteses que as expliquem e elaborar uma interpretação. Em seguida, as conclusões devem ser apresentadas a quem de fato vai usá-las para tomar decisões de negócio.

Agora você já sabe como estruturar uma análise de dados e tirar o máximo proveito dela para a empresa!

Gostou do artigo? Continue sua leitura e aproveite para saber por que você deveria integrar seu ERP com o seu CRM.

Hey,

deixe nos comentários o que você achou deste conteúdo. ;)